Canadá confirma que cidadão foi detido na Coreia do Norte

Homem, de 60 anos, viajou para Coreia do Norte através da China e sua família e a Igreja disseram que os contatos com Lim terminaram em 31 de janeiro

Toronto – O governo do Canadá informou nesta quinta-feira à Agência Efe que um cidadão canadense foi preso na Coreia do Norte, embora não confirmou, por “razões de privacidade”, se tratar do reverendo Hyeon Soo Lim, cuja família denunciou seu desaparecimento há algumas semanas no país asiático.

“Sabemos que um cidadão canadense foi detido na Coreia do Norte. Funcionários consulares estão em contato com a família e estão fornecendo assistência. Por razões de privacidade, não podemos fazer mais comentários”, disse à Efe a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do Canadá, Caitlin Workman.

Lim, que pertence à Igreja Presbiteriana da Luz da cidade canadense de Mississauga, nas redondezas de Toronto, tinha viajado para a Coreia do Norte para realizar trabalhos humanitários, segundo sua família.

Em comunicado distribuído hoje, a Igreja Presbiteriana da Luz disse que “a família Lim e a Igreja solicitam aos canadenses e a comunidade internacional que sigam rezando por sua libertação e retorno seguro”.

Lim, de 60 anos, viajou para Coreia do Norte através da China e sua família e a Igreja disseram que os contatos com Lim terminaram em 31 de janeiro.

A Igreja Presbiteriana da Luz realiza trabalhos humanitárias na Coreia do Norte desde 1997. A Igreja ressaltou que Lim viajou “centenas” de vezes para o país desde então.

As autoridades canadenses, que suspenderam as relações diplomáticas com Coreia do Norte em 2010, lembraram hoje que o Canadá “recomenda há muito tempo que os canadenses não viajem para a Coreia do Norte.

“Os canadenses não deveriam viajar sob nenhuma circunstância a Coreia do Norte”, reafirmou a porta-voz.

Workman acrescentou à Efe que, como não há representação oficial canadense na Coreia do Norte, “a capacidade dos funcionários canadenses de fornecer ajuda consular é muito limitada”.