Camboja condena a 5 anos de prisão politico crítico ao premiê

Ratha foi detido no dia 13 de agosto após publicar uma mensagem no Facebook com críticas a Hun Sen

Bangcoc – Um tribunal do Camboja condenou a cinco anos de prisão o político Sourn Serey Ratha, líder do Partido do Poder Khmer, por causa de uma mensagem crítica ao primeiro-ministro, Hun Sen, no meio de denúncias de assédio contra a oposição, informou nesta segunda-feira a imprensa local.

O juiz Ros Piseth, do tribunal municipal de Phnom Penh, impôs além disso uma multa de 10 milhões de rieles (cerca de US$ 2.500) em seu veredicto de sexta-feira passada e que divulgou esta segunda-feira para a imprensa, informou o jornal “The Cambodia Daily”.

A mulher do político encarcerado assegurou que apelarão da sentença, enquanto o advogado de defensa criticou a dureza da mesma, denunciando que restringe o direito à liberdade de expressão.

Ratha foi detido no dia 13 de agosto após publicar uma mensagem no Facebook com críticas a Hun Sen, devido à mobilização de tropas cambojanas na fronteira com o Laos, por causa de uma disputa territorial.