Câmara da Irlanda aprova lei que autoriza aborto

O projeto permite a interrupção da gravidez quando houver risco de vida para as mães, incluindo risco de suicídio

Londres – A Câmara de Deputados irlandesa aprovou nesta sexta-feira um projeto de lei que autoriza a interrupção da gravidez quando houver risco de vida para as mães, incluindo risco de suicídio, anunciou a televisão irlandesa RTE.

O texto proposto pelo governo foi adotado por 127 votos contra 31, depois de uma maratônica discussão sobre 165 emendas.

Agora, o texto deve ser votado pela Câmara Alta do Parlamento, onde o governo tem maioria.

A adoção do projeto acontece alguns meses depois da morte, bastante divulgada pela mídia em outubro passado, de uma jovem de origem indiana. Ela teve a interrupção da gravidez negada em um hospital irlandês, quando sofria um aborto espontâneo.

Seu pedido foi negado porque não corria risco de vida naquele momento. Ela acabou falecendo por uma septicemia, decorrente do aborto natural.