Caixas-pretas de avião que sofreu acidente na Rússia são encontradas

Incêndio em avião da Aeroflot deixou 41 mortos; pane elétrica e raio são hipóteses do que pode ter acontecido

Moscou — Os serviços de resgate russos encontraram nesta segunda-feira,  as duas caixas-pretas do avião de passageiros SSJ-100 que no domingo pegou fogo no aeroporto de Sheremetievo, em Moscou, após fazer uma aterrissagem de emergência, acidente no qual morreram 41 das 78 pessoas que estavam a bordo.

“As duas caixas-pretas, o registrador de vozes e o dos parâmetros de voo, foram recuperados e entregues ao Comitê Interestatal de Aviação. O seu estado permite a leitura de dados”, anunciou hoje uma fonte dos serviços de emergência citada pela agência “Interfax”.

A fonte acrescentou que o trabalho para recuperar os dados das caixas-pretas pode levar entre duas e quatro semanas.

A aeronave, pertencente à companhia russa Aeroflot, tinha decolado de Sheremetievo no domingo às 18h02 (horário local, 12h02 em Brasília), mas menos de meia depois o avião retornou ao aeroporto, onde realizou uma aterrissagem de emergência.

Veja também

Ao chegar, o avião com seus tanques de combustível cheios, colidiu com a pista e explodiu em chamas.

Nove dos 37 sobreviventes do acidente foram hospitalizados, dois deles em estado grave, informou o Ministério de Saúde russo.

De acordo com a agência de notícias Ria Novosti, um problema elétrico teria provocado o incêndio na aeronave. Mas um passageiro comentou sobre um raio, que teria atingido o avião.

“Tínhamos acabado de decolar e o avião foi atingido por um raio (…) A aterrissagem foi difícil. O avião quicou na pista como um gafanhoto e se incendiou em solo”, contou Petr Egorov ao jornal russo Komsomolskaya Pravda

A agência Interfax citou uma fonte anônima, segundo a qual a aeronave havia aterrissado com os tanques cheios de combustível porque foi perdido o contato por rádio com os controladores de tráfego aéreo e “era perigoso realizar uma manobra para esvaziar os tanques sobrevoando Moscou”.

“Foi aberta uma investigação criminosa por violação das normas de segurança”, informou o Comitê de Investigação da Rússia.

O porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, indicou que o presidente Vladimir Putin apresentou suas condolências aos familiares das vítimas.

Vários voos tiveram que ser desviados para outros aeroportos de Moscou ou ao de Nizhni Novgorod, 500 km a leste da capital russa.