Brexit: boa notícia para a Índia?

Passado o pânico inicial com o Brexit, alguns países começam a enxergar benefícios na saída do Reino Unido da União Europeia. A Índia, até aqui, é o maior exemplo. Políticos e empresários do país vêm ressaltando que o Brexit pode ser um ótimo negócio.

O ministro das finanças indiano, Jayant Sinha, declarou que os britânicos buscarão “construir suas relações com o resto do mundo” e que a Índia seria uma boa alternativa para tal.

Em 2015, o comércio entre indianos e a União Europeia totalizou mais de 77 bilhões de euros, somando-se importações e exportações. Quase 17% desse montante, 13 bilhões, foram movimentados em comércio com os britânicos. O Reino Unido foi o país da União Europeia que mais importou da Índia – foram 7,9 bilhões de euros.

Para os indianos, uma negociação direta com o Reino Unido poderia aumentar as chances de um acordo bilateral que é ensaiado há anos, mas nunca engrenou muito bem com a União Europeia. Além disso, a expectativa é de que as tarifas alfandegárias tornem-se mais maleáveis – uma vez que os britânicos, tradicionalmente, são mais árduos defensores do livre-comércio do que França, Itália e Alemanha.

O problema no plano da Índia é que, no curto prazo, analistas estimam que a economia do Reino Unido deve sofrer. “Esperamos agora que a economia do país inicie uma ligeira recessão no início de 2017”, dizem analistas do banco Goldman Sachs em relatório. Se isso acontecer, não vai ter muito britânico querendo aumentar as importações. Se a Índia e outros países quiserem mesmo colher bons frutos de um Brexit, precisarão ter paciência.