Brasil tem 251 municípios com risco elevado de desastres por chuvas

A maioria das cidades está localizada nas regiões sul e sudeste

Rio de Janeiro – Pelo menos 251 dos 5.565 municípios brasileiros correm ‘elevado risco’ de sofrer deslizamentos de terras e inundações em 2012 como consequência das chuvas, segundo um estudo divulgado nesta quinta-feira pelo Ministério da Integração Nacional.

‘Identificamos e localizamos em mapas a possível quantidade de desastres e óbitos nos municípios. Há 251 cidades brasileiras que apresentam elevado risco’, explicou o ministro Fernando Bezerra, em entrevista coletiva.

Apesar de não ter divulgado a lista de cidades em risco, o ministro disse que a maioria está localizada nas regiões sul e sudeste, precisamente onde estão as maiores cidades, incluindo São Paulo e Rio de Janeiro, e a maioria da população.

Bezerra garantiu que o governo elaborou neste ano um mapa detalhado de possíveis locais de deslizamentos e inundações em 26 das cidades consideradas como de alto risco.

As autoridades já tinham elaborado em 2006 o mapa de locais de risco em outras 30 cidades, que está sendo atualizado.

Os mapas identificam as áreas mais vulneráveis a algum tipo de desastre, a quantidade de casas nos locais de risco e o número de pessoas que vivem ali.

Os trabalhos realizados neste ano permitiram identificar 47.500 pessoas em áreas de risco em seis municípios do Espírito Santo, 45.000 em Santa Catarina, 25.000 em seis cidades do Rio Grande do Sul e 1.736 em quatro cidades do Paraná, entre outros.

Por municípios, o que enfrenta a situação mais grave é Angra dos Reis, no litoral sul do Rio de Janeiro e onde 44.967 pessoas vivem em áreas de risco.


Os números foram divulgados no mesmo dia em que um forte temporal inundou e paralisou várias áreas de São Paulo e um dia depois de as chuvas destruírem numerosas residências no Rio Grande do Sul e provocarem um caos no trânsito no Rio de Janeiro.

O ministro afirmou que, para evitar esse tipo de tragédias, o governo vem concentrando seus esforços em ações de prevenção, nas quais foram investidas R$ 700 milhões de reais apenas este ano.

Entre estes investimentos está o projeto para montar uma rede de prevenção e alerta que inclui radares, sensores e alarmes em várias cidades.

‘A grande novidade para 2012 é a cultura da prevenção. Antes tínhamos o hábito de apenas responder à ocorrência de desastres. A presidente Dilma (Rousseff) quer mudar essa realidade e está tomando medida práticas para isso’, afirmou o ministro.

Bezerra acrescentou que o governo investirá nos próximos meses cerca de R$ 48 milhões na aquisição de equipamentos para as Forças Armadas que permitam aos militares apoiar grupos de resgate em casos de desastres meteorológicos.