Brasil supera EUA em influência no mundo, diz pesquisa da BBC

Avaliação positiva chegou a 49%, garantindo ao Brasil o 7º lugar no ranking

São Paulo – O Brasil deu um enorme salto e superou os Estados Unidos em uma pesquisa anual do Serviço Mundial da BBC sobre a influência no mundo. O levantamento, coordenado pelo instituto de pesquisas GlobeScan e pelo Programa de Atitudes em Política Internacional (PIPA, na sigla em inglês) da Universidade de Maryland (EUA), foi divulgado nesta segunda-feira (7).

As avaliações positivas sobre a influência do Brasil no mundo tiveram o maior salto entre os países pesquisados, pulando, na média, de 40% para 49%, mesmo percentual obtido pelos Estados Unidos. Como o percentual negativo do Brasil (20%) é inferior ao dos Estados Unidos (31%), nós superamos os americanos no critério de desempate.

As entrevistas foram feitas pessoalmente ou por telefone entre dezembro de 2010 e fevereiro de 2011 em 27 países, mas apenas 16 nações e a União Europeia são avaliadas. No ranking, a Alemanha lidera e o Brasil ocupa a 7ª posição (veja quadro abaixo). 

Segundo a BBC Brasil, entre os fatores que influenciaram positivamente a avaliação do país estão a diplomacia brasileira, a popularidade do ex-presidente Lula e a atuação de empresas e ONGs brasileiras no exterior. O bom desempenho da economia brasileira durante a crise econômica também ajudou. 

Portugal é o país que confere ao Brasil o maior percentual de influência positiva no mundo: 76% dos entevistados. O menor percentual veio do Paquistão (21%), mas é importante salientar que apenas 14% dos paquistaneses tiveram uma avaliação negativa sobre o Brasil. Portanto, restaram 65% de entrevistados no Paquistão que foram neutros ou não souberam responder. A explicação mais provável para esse percentual elevado é a falta de informações sobre o Brasil no Paquistão.

A Alemanha foi o único país que conferiu ao Brasil avaliação negativa (32%) maior do que a positiva (31%). Curiosamente, a China, que já é o maior parceiro comercial do Brasil, foi o país que mais reduziu o índice positivo (de 55%, em 2010, para 45%, em 2011) e o que mais aumentou o negativo (de 12%, em 2010, para 41%, em 2011).

Fonte: BBC/GlobeScan/PIPA
Posição Países/Região Positivo Neutro*  Negativo
Alemanha 62% 23% 15%
Reino Unido 58% 25% 17%
Canadá 57% 31% 12%
União Europeia 57% 25% 18%
Japão 57% 23% 20%
França 52% 29% 19%
Brasil 49% 31% 20%
Estados Unidos 49% 20% 31%
China 44% 18% 38%
10º África do Sul 42% 31% 27%
11º Índia 42% 29% 29%
12º Coreia do Sul 36% 32% 32%
13º Rússia 34% 28% 38%
14º Israel 21% 30% 49%
15º Paquistão 17% 27% 56%
16º Coreia do Norte 16% 29% 55%
17º Irã 16% 25% 59%

* a coluna Neutro inclui as pessoas que não souberam responder