Brasil “compreende” ausência de Cristina Kirchner na posse de Dilma

Presidente da Argentina preferiu comemorar o Ano Novo com sua família em Río Gallegos, cidade natal de seu marido e antecessor Néstor Kirchner

Brasília – O Brasil “compreende” e “respeita” a anunciada ausência da presidente argentina Cristina Kirchner na posse de Dilma Rousseff, disse nesta quinta-feira o assessor de Assuntos Internacionais da Presidência, Marco Aurélio Garcia.

“É uma situação pessoal muito difícil, que o Brasil compreende perfeitamente e respeita”, disse García a jornalistas no Palácio do Itamaraty após participar de um encontro entre Dilma e o primeiro-ministro búlgaro, Boyco Borissov.

Cristina, segundo fontes oficiais brasileiras, preferiu comemorar o Ano Novo com sua família em Río Gallegos, cidade natal de seu marido e antecessor Néstor Kirchner, que faleceu em 27 de outubro de uma parada cardíaca e foi enterrado nesse local.

O assessor de Assuntos Internacionais, que ocupou o cargo durante o Governo de Luiz Inácio Lula da Silva e continuará no posto com Dilma, indicou que a relação entre Brasil e Argentina “é mais forte que nunca” e assegurou que Cristina e a futura presidente do Brasil terão seu primeiro encontro logo, mas não informou datas.

García considerou que isso poderia começar a ser definido na reunião que o ministro das Relações Exteriores nomeado por Dilma, Antonio Patriota, terá com seu colega argentino, Héctor Timerman, no próximo domingo em Brasília.

Timerman liderará a delegação argentina na posse de Dilma, que será integrada pelo secretário de Comércio das Relações Econômicas Internacionais, Luis María Kreckler, e o subsecretário de Política Latino-Americana, Diego Tettamanti.