Bomba em Boston foi feita com panela, pólvora e estilhaços

Dupla explosão deixou três mortos e 176 feridos, incluindo pelo menos 10 amputados

Boston – Uma panela de pressão cheia de pólvora e estilhaços de metal provocou pelo menos uma das explosões da segunda-feira junto à linha de chegada da Maratona de Boston, no pior atentado em território norte-americano desde 11 de setembro de 2001, disseram autoridades nesta terça-feira.

O presidente norte-americano, Barack Obama, qualificou como um “ato de terror” a dupla explosão, que deixou três mortos e 176 feridos, incluindo pelo menos 10 amputados. A polícia disse que uma parte do centro de Boston deve permanecer fechada durante vários dias para as investigações.

“Quando essas crianças chegaram … vieram tão gravemente feridas, só cobertas pelo cabelo tostado e com tanta dor, que era de virar o estômago”, disse David Mooney, diretor do programa de traumatologia do Hospital Infantil de Boston. “Puxar pregos da carne de uma menininha é simplesmente horrível.” A vítima fatal mais jovem é um menino de 8 anos, identificado pela família como Martin Richard. Em frente à casa da família, no bairro de Dorchester, muitas flores foram depositadas num memorial improvisado, e a palavra “paz” foi escrita a giz na calçada.

Outra vítima foi Krystle Campbell, 29 anos, moradora de Medford, Massachusetts. A terceira pessoa morta ainda não foi identificada.

Seguindo uma pista preliminar, um apartamento foi revistado pelas autoridades, que em seguida descartaram que um estudante saudita ferido no ataque tenha tido responsabilidade.

Mais tarde, a secretária norte-americana de Segurança Interna, Janet Napolitano, disse não haver indicação de que as explosões tenham sido parte de um plano mais amplo.

Panela-bomba

Pelo menos uma bomba, e possivelmente ambas, foi feita tendo uma panela de pressão como invólucro, pólvora para a explosão e esferas metálicas para ampliar os danos, segundo funcionários de contraterrorismo, aposentados e da ativa, que tiveram acesso às informações.

Essas fontes, que pediram anonimato, disseram que instruções para produzir essas bombas estão disponíveis na internet.


“Sempre que bombas são usadas para atingir civis inocentes, isso é um ato de terrorismo”, disse Obama na sala de imprensa da Casa Branca. “O que não sabemos ainda, no entanto, é quem realizou esse ataque e por quê, se foi planejado e executado por uma organização terrorista, estrangeira ou doméstica, ou se foi o ato de um indivíduo malévolo.” Rejeitando relatos anteriores de que até sete dispositivos teriam sido achados em Boston e arredores, Gene Marquez, agente encarregado do Departamento de Álcool, Tabaco, Armas de Fogo e Explosivos, disse que autoridades haviam determinado que as únicas bombas usadas no ataque foram as duas que explodiram logo depois das 15h (16h em Brasília) da segunda-feira.

Uma eventual bomba não detonada poderia ter permitido um melhor esclarecimento sobre sua montagem e os materiais usados, gerando pistas para a investigação.

Em várias cidades dos Estados Unidos, as autoridades estão em alerta redobrado. Alguns incidentes foram registrados, mas sem feridos.

No Aeroporto Internacional Logan, em Boston, dois passageiros e suas bagagens foram retirados de um avião da United Airlines que se preparava para decolar na manhã desta terça-feira, segundo uma fonte familiarizada com o caso.

Em Nova York, o terminal central do Aeroporto Internacional La Guardia chegou a ser desocupado por causa de uma bagagem suspeita, por volta de 10h30 (11h30 em Brasília), segundo autoridades.