Bolívia lança panetone fabricado com folhas de coca

Para surpreender neste natal, os cocaleiros bolivianos colocaram à venda panetones feitos com farinha de folhas de coca

La Paz – Com intenção de surpreender neste natal, os cocaleiros bolivianos colocaram à venda panetones feitos com farinha de folhas de coca, um novo produto da industrialização da planta que os traficantes usam para fabricar cocaína.

O gerente da Empresa Boliviana Comunitária da Coca (Ebococa), José Ugarte, declarou à Agência Efe que a companhia, que pertence a seis federações de cocaleiros da provincia de Chapare, fabricou aproximadamente 5 mil panetones para este natal.

‘O panetone de coca possui ingredientes habituais, como passas, frutas cristalizadas, açúcar e outras farinhas, mas se destaca por acrescentar ‘o ingrediente da energia’, que é proporcionado pelas fibras das folhas de coca, uma característica comum dos alcalóides, explicou Ugarte.

Ugarte assegurou que a coca, em quantidades controladas e em seu estado natural, não é prejudicial à saúde e não causa dependência. A farinha desta folha tem cálcio, ferro e vários tipos de vitaminas, além de facilitar a digestão.

A Ebococa é um dos projetos impulsionado pelo presidente da Bolívia, Evo Morales, para industrializar a coca e descriminalizar seu uso tradicional, como a mastigação da folha (‘acullico’), na Junta de Fiscalização de Entorpecentes da ONU (Jife).

Na última quinta-feira, Morales pediu novamente aos inspetores da Jife apoiarem seu pedido de descriminalização do ‘acullico’. No entanto, o líder boliviano reconheceu que não conseguiu convencer todos integrantes da organização, que é presidida pelo iraniano Hamid Ghodse.


Cada panetone de coca custa US$ 4 e, por ser um produto novo, será vendido somente no departamento central de Cochabamba. Mas, em 2012, o produto deverá ser comercializado também em outras regiões bolivianas.

Segundo Ugarte, a Ebococa é a primeira empresa do país que começou a produzir de forma industrial derivados de coca. Neste mês de dezembro, primeiro mês de operações, a fábrica também produziu chás de coca e, posteriormente, deverá lançar uma nova linha, que inclui: refrescos, energéticos, licores, analgésicos, bloqueadores solares, balas e extratos.

‘Nossa principal intenção é demonstrar que a coca também pode ser utilizada para produtos benéficos’, apontou Ugarte, que lamentou que ‘o mal uso da folha sagrada acaba restringindo sua utilização ao tráfico’.

O investimento feito para construir e equipar a fábrica de panetones de coca, a maior deste setor na Bolívia, foi de US$ 1,7 milhões. Isso porque, há dezenas de pequenas companhias que fabricam artesanalmente outros derivados da folha, cujo cultivo passou de 25,4 mil para 31 mil hectares desde que Morales chegou à Presidência.

Nos últimos anos, com apoio do Governo Morales, os cocaleiros da Bolívia lançaram vários produtos com base no extrato da folha da coca, assim como a famosa ‘Coca Cola’.

A Bolívia é o terceiro produtor mundial de coca e cocaína, ficando atrás da Colômbia e do Peru, e o principal fornecedor da droga para os países vizinhos do Cone Sul, segundo a ONU.

A Constituição promulgada por Morales em 2009 diz que ‘o Estado protege a coca originária e ancestral como um patrimônio cultural, um recurso natural renovável da biodiversidade da Bolívia, ressaltando que ‘em seu estado natural não se trata de um entorpecente’.