Com 136 a bordo, avião derrapa ao pousar e vai parar em rio na Flórida

Avião conseguiu se salvar ao pousar no rio e não deixou vítimas fatais, fato visto como "milagre" pelas autoridades

Um Boeing 737 saiu na noite de sexta-feira da pista ao pousar em uma base naval do estado da Flórida durante uma tempestade elétrica e ficou boiando em um rio, sem registro de vítimas.

O aparelho, que chegava da base de Guantánamo, em Cuba, com 136 passageiros e 7 tripulantes, ficou flutuando nas águas rasas de um rio perto de uma estação aérea de Jacksonville.

Todas as pessoas foram evacuadas, disseram as autoridades.

“Quando estávamos descendo, o avião pulou, quicou, se recuperou, virou à direita e depois saiu da pista”, afirmou Cheryl Bormann, um advogado a bordo, à CNN.

“Então se virou novamente e parou abruptamente”, continuou, observando que algumas máscaras de oxigênio haviam caído e o compartimento de bagagem abriu.

Vinte e uma pessoas foram levadas para hospitais locais, mas nenhuma delas ficou gravemente ferida, informou o departamento do xerife de Jacksonville no Twitter.

Outros foram tratados por pequenos ferimentos no local.

O voo de Guantánamo transportava militares e suas famílias.

O capitão Michael Connor, comandante da Estação Aérea Naval de Jacksonville, disse em uma entrevista coletiva que era um milagre que não tenha havido mais ferimentos graves ou mortes.

A única preocupação das autoridades foi o desaparecimento de alguns animais de estimação que estavam na bagagem e não foram encontrados.

As autoridades federais de segurança do transporte abriram uma investigação sobre as causas do incidente desse avião, um 737-800 de 18 anos, modelo mais antigo que o 737 Max que foi imobilizado pela Boeing após dois acidentes fatais.