Blatter nega que Rússia poderá perder direito de sediar Copa

Presidente da Fifa, Joseph Blatter negou chances de a Rússia perder o direito de sediar a Copa do Mundo de 2018

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, negou nesta sexta-feira chances de a Rússia perder o direito de sediar a Copa do Mundo de 2018, por causa da crise política com a Ucrânia, em entrevista coletiva concedida após reunião do Comitê Executivo da entidade.

“A Copa do Mundo, em votação, foi concedida à Rússia. Vamos seguir adiante com nosso trabalho”, disse o dirigente máximo do futebol mundial.

Ainda na entrevista coletiva, Blatter fez questão de lembrar que o ministro russo dos Esportes e presidente do Comitê Organizador do Mundial 2018, Vitaly Mutko, é membro do Comitê Executivo da Fifa.

Sobre as informações publicadas nesta semana a respeito do pagamento de dinheiro ao ex-vice-presidente da entidade, Jack Warner de US$ 1,4 milhão, em troca do apoio a candidatura do Catar como sede da Copa de 2022, Blatter preferiu não dar comentários.

Na reunião do Comitê Executivo ficou definido, por outro lado, que o presidente da Fifa visitará o país asiático antes da Copa do Mundo de 2014. A ideia é de que a entidade “pode ajudar” a melhorar as condições trabalhistas no Catar.

Além disso, foi divulgado o balanço financeiro da entidade em 2013, que fechou com saldo positivo de US$ 72 milhões (R$ 167 milhões).