Prefeito de NY, Bill de Blasio quer concorrer à presidência dos EUA

O prefeito de Nova York anunciou hoje que irá concorrer à nomeação democrata com uma plataforma que "prioriza trabalhadores"

Nova York – O prefeito de Nova York (Estados Unidos), Bill de Blasio, anunciou nesta quinta-feira com um vídeo no YouTube que vai concorrer à candidatura democrata para as eleições americanas, que acontecem em 2020, com a intenção de “priorizar os trabalhadores”.

De Blasio propõe no vídeo “frear (Donald) Trump”, critica as políticas de imigração e meio ambiente impulsionadas pelo atual governo e se refere às conquistas progressistas de sua própria gestão local em Nova York, como o aumento do salário mínimo.

Com o anúncio, o prefeito de NY agora é parte de uma grande lista de nomes que já anunciaram a disputa pela nomeação do Partido Democrata às eleições de 2020 dos Estados Unidos.

Entre os candidatos já confirmados, estão veteranos como Joe Biden, vice-presidente dos EUA na gestão de Barack Obama, e Bernie Sanders, senador pelo estado de Vermont, além de novatos como Pete Buttigieg, prefeito de South Bend, Indiana.

Bill de Blasio

De Blasio, de 58 anos, menciona na gravação de três minutos as políticas que implementou em sua cidade americana para favorecer as “famílias trabalhadoras” desde que iniciou o seu mandato em janeiro de 2014.

As pesquisas até agora são desfavoráveis a ele e os meios de comunicação nova-iorquinos, muito críticos a seu governo, tentaram, em vão, dissuadi-lo em sua decisão de apresentar sua candidatura.

Eleito com a promessa de reduzir as desigualdades após 12 anos de governo do bilionário Michael Bloomberg, Bill de Blasio é um dos aspirantes presidenciais com posturas mais à esquerda, como as do também pré-candidato Bernie Sanders.

Ainda que o posto de posto de prefeito de Nova York seja “o segundo mais difícil” dos Estados Unidos – atrás do de presidente -, Bill de Blasio, de 58 anos, parece ser o único, até o momento, a acreditar em suas chances.

A última pesquisa em que apareceu, publicada no início de abril pela universidade Quinnipiac, indicava que, mesmo entre os nova-iorquinos, 76% dos eleitores não gostariam de vê-lo na briga pela indicação democrata, contra apenas 18% favoráveis.

Casado com uma mulher negra e pai de dois filhos, é popular entre a comunidade negra. Mas, segundo as pesquisas, os hispânicos estão divididos a seu respeito, enquanto os brancos são majoritariamente críticos a seu mandato.

Ele deve participar ainda nesta manhã do programa “Good Morning America”, antes de partir na sexta-feira para Iowa, um dos estados-chave para as primárias democratas.

Com posições mais próximas às de Bernie Sanders do que de Hillary Clinton durante a campanha 2016, Bill de Blasio introduziu em Nova York a escola maternal gratuita para todos, elevou o salário mínimo a US$ 15 por hora e anunciou uma cobertura universal da saúde.

Frente as inúmeras detenções de migrantes em situação irregular pelo governo Trump, multiplicou as medidas pró-migrantes, reivindicando a imagem de cidade mundial de Nova York. Recentemente, endossou um pacote de leis municipais diante da mudança climática.