Berlusconi é absolvido em caso sobre prostituição de menores

Após nove horas, os juízes confirmaram a absolvição do ex-premiê e encerraram o caso envolvendo as famosas orgias conhecidas como "bunga bunga"

Roma – A Corte de Cassação italiana confirmou nesta terça-feira à noite a absolvição do ex-chefe de governo Silvio Berlusconi do crime de prostituição de menores e abuso de poder no escândalo “Rubygate”, anunciou a agência italiana de notícias AGI.

Em junho de 2013, o magnata de comunicação foi condenado em primeira instância a sete anos de prisão. Os magistrados consideraram que Berlusconi, de 78 anos, era culpado de oferecer dinheiro em troca de sexo para “Ruby rouba-coração”, quando ela ainda era menor de idade.

O ex-premiê também foi considerado culpado por ter pressionado a prefeitura de Milão para soltar a jovem de nacionalidade marroquina, detida por roubo.

Com base nessa sentença, o procurador-geral da Corte de Cassação reclamou, em vão, o envio do ex-presidente do Conselho de Ministros da Itália para outro tribunal de apelação, acusando-o de ter uma “paixão devastadora” por adolescentes.

Em julho de 2014, um tribunal de Apelação o absolveu de todas as acusações. Hoje, a Corte ratificou essa sentença.

Após nove horas de deliberações, os juízes confirmaram a absolvição do ex-premiê e encerraram o caso envolvendo as famosas orgias conhecidas como “bunga bunga”. A decisão deixa “Il Cavaliere” livre para prosseguir na política.

O magnata, cujo império inclui o clube AC Milan, sempre negou ter pago à dançarina de 17 anos, chamada Karima el Mahroug (Ruby), para fazer sexo com ele.

Berlusconi afirma que tentou ajudar a jovem marroquina quando foi detida por roubo, acreditando que se tratava da sobrinha do então presidente do Egito, Hosni Mubarak. O tribunal de apelação levou em conta este argumento quando o absolveu por abuso de poder.

Os juízes também concluíram que o ex-chefe de governo disse a verdade sobre acreditar que Ruby tinha 18 anos.

Berlusconi acaba de cumprir uma pena de serviços comunitários por fraude fiscal. Agora, também poderá circular livremente, com o fim da prisão domiciliar que cumpria, todo fim de semana, desde maio passado.

Ele ainda tem várias pendências com a Justiça, como o julgamento por corrupção de um senador. Berlusconi é acusado de “comprar” o senador com 3 milhões de euros para convencê-lo a mudar de lado e ajudar a derrubar, em 2008, o governo de centro-esquerda de Romano Prodi.

Outro problema para “Il Cavaliere” é o caso conhecido como “Ruby3”, no qual Berlusconi está sendo investigado pela Justiça de Milão.

O ex-premiê teria subornado mais de 20 mulheres para que não testemunhassem contra ele no julgamento por abuso de poder e prostituição de menor.