Berlusconi comparece à justiça pela primeira vez em 8 anos

Audiência preliminar vai decidir se premiê será julgado ou não por fraude fiscal e abuso de confiança

Milão – O chefe de Governo italiano, Silvio Berlusconi, criticado pela adoção de leis para escapar da justiça, compareceu nesta segunda-feira pela primeira vez em oito anos a um tribunal, em Milão, para uma audiência preliminar.

Berlusconi, que permaneceu menos de duas horas com os juízes, foi aclamado depois da audiência por uma centena de simpatizantes que gritavam seu nome e “hip, hip, hurra!” em frente à corte.

O premier anunciou que também assistirá à próxima audiência, marcada para o dia 4 de abril.

“Deu tudo certo, vou me preparar para o 4 de abril”, disse, enquanto entrava no carro para ir embora.

O bilionário político, protagonista de um escândalo sexual sem precedentes no qual é acusado de prostituição de menores e abuso de poder, não quis falar sobre o processo.

“Esse é outro caso”, afirmou.

A primeira aparição de Berlusconi em oito anos diante da justiça faz parte de sua nova estratégia de defesa, decidida por seu batalhão de advogados, entre eles, vários parlamentares.

Berlusconi está sendo julgado por fraude fiscal, abuso de confiança e fraude contábil no caso da aquisição de direitos de exibição de grandes produtoras americanas pela Mediatrade, uma das empresas de seu império das telecomunicações.


O premier não falou perante os juízes, mas cumprimentou com um aperto de mão um dos promotores, Fabio De Pasquale, a quem atacara com virulência há alguns poucos meses.

Os militantes de seu partido, o Povo da Liberdade (PDL), armaram uma vigília em frente ao tribunal para demonstrar apoio e denunciar os juízes, que acusam de usar a justiça para fins políticos.

“A política nas urnas, fora dos tribunais” e “Silvio, resiste, resiste” eram alguns dos slogans do grupo.

“Ele está sendo atacado por juízes politizados”, disse à AFP Giovanni Esposito, de 46 anos, comerciante e membro do PDL.

Luca Ragone, de 28, membro do partido de oposição Itália dos Valores, fundado pelo líder anticorrupção Antonio Di Pietro – inimigo histórico de Berlusconi -, duvida que o primeiro-ministro vá comparecer a todas as audiências.

“Uma coisa são as audiências preliminares, e outra é o julgamento”, estimou.

No passado, Silvio Berlusconi foi condenado a seis anos e cinco meses de prisão por corrupção, fraude contábil e financiamento ilícito de partidos políticos. Entretanto, acabou sendo absolvido em instâncias posteriores, e em alguns casos o crime simplesmente prescreveu.