Belo Monte espera definição de financiamento em 30 dias

A usina hidrelétrica Belo Monte, que está sendo construída no rio Xingu, tem um investimento total estimado em 25,6 bilhões de reais

São Paulo – A Norte Energia espera que o financiamento de longo prazo para usina hidrelétrica de Belo Monte tenha as condições definidas nos próximos 30 dias, disse o presidente da empresa responsável pela obra, Carlos Nascimento.

Segundo ele, existem bancos privados interessados em participar do financiamento, disse nesta quarta-feira.

“Nós temos até o final do mês de agosto e início de setembro para ter o desembolso”, disse Nascimento a jornalistas após palestra no evento da Business News America.

O executivo não quis mencionar os valores de financiamento que estão sendo discutidos para a obra, mas informou que avaliação das condições está sendo feita ao mesmo tempo em que o consórcio também discute com os bancos privados.

“Tem bancos privados interessados no financiamento de longo prazo… principalmente locais”, disse.

A usina hidrelétrica Belo Monte, que está sendo construída no rio Xingu, tem um investimento total estimado em 25,6 bilhões de reais, sendo que o capital social dos acionistas é de 6 bilhões, segundo informou Nascimento.


O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) pode financiar até 80 por cento dos itens financiáveis do empreendimento. “De um montante x estabelecido, tem a parte indireta e é nesse montante que os bancos privados entrariam”, disse o executivo, que voltou a afirmar que Belo Monte será o maior financiamento já concedido na história do BNDES.

“Se por um acaso, tivermos um ‘delay’ (na liberação do financiamento), significa que os acionistas terão que fazer aportes”, disse Nascimento.

A chefe do departamento de energia elétrica do BNDES, Márcia Leal, disse que é possível que a aprovação do financiamento da usina saia ainda nesse semestre. “A gente está em processo de análise. A gente está numa fase bem avançada”, disse a jornalistas durante o mesmo evento.

Segundo Márcia Leal, algum atraso que possa ter ocorrido na construção de Belo Monte não afeta a avaliação do banco em relação à liberação de um financiamento. “Isso (atraso) rebate no retorno dos projetos, e não na capacidade de pagamento (do financiamento)”, disse Márcia.

Carlos Nascimento, da Norte Energia, garantiu, no entanto, que a greve que atingiu a usina recentemente por cerca de 11 dias não afetou o prazo para que as primeiras turbinas da hidrelétrica entrem em operação em janeiro de 2015.