Belgrado extradita Goran Hadzic ao Tribunal de Haia

O suposto criminoso de guerra foi capturado na quarta-feira na Sérvia

Belgrado – O suposto criminoso de guerra Goran Hadzic, capturado na quarta-feira na Sérvia, foi extraditado nesta sexta-feira para o Tribunal Penal Internacional para a ex-Iugoslávia (TPII), em Haia.

A ministra da Justiça sérvia, Snezana Malovic, anunciou em entrevista coletiva que o avião que transporta Hadzic já voa para Haia, com o cumprimento dos requisitos legais para transferência.

O responsável de Justiça anunciou que com sua assinatura nesta sexta-feira do documento de extradição a “Sérvia terminou o capítulo mais difícil de sua cooperação com o TPII e cumpre seu principal compromisso”.

Hadzic era o último acusado pelo TPII que continuava em liberdade, após a detenção em maio na Sérvia do ex-comandante militar sérvio-bósnio Ratko Mladic.

Malovic declarou que com a captura de Hadzic a Sérvia demonstrou sua “dedicação ao cumprimento das normas internacionais” e confiou em que outros países da região mostrem o mesmo interesse na detenção de criminosos de guerra.

Ela lembrou que, durante o mandato do atual Governo sérvio – no poder desde 2008 -, foram detidos “os foragidos mais procurados”, Mladic, Hadzic e o ex-líder político sérvio-bósnio Radovan Karadzic, e que este é um sinal de sua disposição de enfrentar o passado e de reconciliar a antiga Iugoslávia.

Snezana Malovic indicou que a Sérvia seguirá com os processos contra todos os acusados de crimes de guerra e confiou que outros países da região mostrem o mesmo interesse.

A ministra da Justiça sérvia disse que Belgrado prosseguirá sua cooperação com o TPII para entregar a documentação que possa ser solicitada tanto pela promotoria dessa corte como a defesa dos cidadãos sérvios acusados.

Além disso, a ministra destacou que a Sérvia poderá aplicar agora mais esforços ao cumprimento de outras tarefas que facilitem sua aproximação à União Europeia, como, por exemplo, a luta contra o crime organizado.

A plena cooperação da Sérvia com o TPII, que representa também a captura e extradição de Hadzic, era uma das condições para a aproximação deste país balcânico à União Europeia.

Sérvia aspira obter este ano o status de país candidato à adesão comunitária.