Bélgica prolonga prisão de suspeito de atentados de Paris

Lazez Abraimi será ouvido por um juiz mais uma vez no próximo dia 7 de janeiro, segundo a Procuradoria Federal da Bélgica

Bruxelas — A Justiça da Bélgica prolongou por três meses a prisão de Lazez Abraimi, um dos suspeitos detidos por envolvimento com os atentados de 13 de novembro em Paris.

O advogado de Abraimi informou à imprensa nesta quinta-feira sobre a decisão da extensão da prisão de seu cliente, o nono indivíduo detido na Bélgica nas investigações sobre os ataques à capital francesa. Ele será ouvido por um juiz mais uma vez no próximo dia 7 de janeiro, segundo a Procuradoria Federal da Bélgica.

Abraimi, de 30 anos, foi preso na terça-feira em uma operação policial em Bruxelas, acusado de promover “atentados” e de “participação em atividades de um grupo terrorista”.

As autoridades alegam que ele fez vários contatos com Hasna Ait Boulahcen, prima do mentor dos ataques, Adbelhamid Abaaoud, nos dias seguintes aos atentados de 13 de novembro, mas antes da operação dos agentes franceses contra o apartamento em Saint-Denis, quando os dois extremistas acabaram morrendo.

Além disso, Abraimi é acusado de ajudar na fuga do principal foragido dos atentados, Salah Abdeslam, por Bruxelas no dia 14 de novembro, algo negado categoricamente por ele.

Na caminhonete de Abraimi foram encontradas duas armas e mostras de sangue, embora as autoridades acreditem que essas pistas não têm relação com a fuga de Abdeslam.