Beckenbauer diz que vai colaborar com investigação da Fifa

O ex-jogador alemão foi punido pela Fifa e não veio para o Brasil ver a Copa

Berlim – O dirigente e ex-jogador alemão Franz Beckenbauer anunciou que responderá antes do próximo dia 27 ao questionário da Comissão de Ética da entidade sobre o processo de escolha das sedes dos Mundiais de 2018 e 2022.

Neste domingo, dois dias após ter sido punido com suspensão de 90 dias de ‘qualquer atividade relacionada ao futebol’, o escritório de Beckenbauer informou que atenderá às perguntas formuladas ‘para que não fique suspeita alguma de que violou o código de ética’ da Fifa.

Esta decisão foi tomada após a polêmica causada pela suspensão de Beckenbauer, que era membro do Comitê Executivo da Fifa na época em que Rússia e Catar foram escolhidas sedes dos Mundiais seguintes aos do Brasil.

A Comissão de Ética anunciou na sexta-feira passada a suspensão depois que Beckenbauer não respondeu ao questionário que lhe foi enviado para que ele esclarecesse seu papel nessa concessão.

O ídolo alemão explicou à imprensa que não o fez pois o texto estava escrito em um inglês jurídico que ele não conseguiu compreender.

O conflito com a Comissão Ética começou por causa das investigações dirigidas pelo presidente desse órgão, Michael J. García, após as informações publicadas na imprensa britânica sobre os supostos vínculos de Beckenbauer com negócios no Catar e na Rússia.

O alemão deixou de ser membro do Comitê Executivo pouco depois do duplo processo de escolha.

Copa de 2022

A Copa no Catar tem sido duramente criticada. Há denúncias de corrupção envolvendo a escolha da sede.

Além disso, denúncias de trabalho escravo e péssimas condição de trabalho mancham a imagem da Fifa e do comitê da Copa do Catar.