Ban Ki-moon condena ‘terrível’ atentado contra ONU na Nigéria

Secretário-geral anunciou uma equipe para investigar o ato terrorista que matou 18 pessoas

Nova York – O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, condenou nesta sexta-feira o “terrível” atentado com carro-bomba que atingiu a sede da ONU na capital da Nigéria, Abuja, e assegurou que enviará uma equipe ao país para investigar e avaliar o ocorrido.

“Foi um ataque contra quem entrega sua vida a ajudar os demais. Condenamos plenamente este terrível ato”, disse o principal responsável da ONU perante a imprensa, que por sua vez evitou detalhar os números de vítimas, enquanto autoridades locais falam de 18 mortos.

O secretário-geral explicou que já se mobilizaram equipes de resgate nigerianas e internacionais, que trabalham para transportar os feridos aos hospitais e oferecer ajuda de emergência necessária no local do ataque.

Ban detalhou que o atentado ocorreu ao redor das 11h local (7h do horário de Brasília) contra os edifícios que agrupam 26 agências humanitárias e de desenvolvimento da família da ONU na capital nigeriana.

O principal responsável da ONU explicou que o organismo averiguará as circunstâncias do atentado e para isso pediu à vice-secretária-geral da ONU, Asha-Rose Migiro, que se desloque “imediatamente” à Nigéria, onde viajará acompanhada pelo subsecretário-geral em matéria de segurança, Gregory Starr.

Assim que eles chegarem ao país africano, a ONU terá “uma análise completa da situação”, já que por enquanto Ban assegurou que não possuem dados suficientes para analisar quem pode estar por trás do atentado nem quais são as necessidades do pessoal das Nações Unidas no país.

Ban assinalou que seus enviados se reunirão com as autoridades do país e que deve falar hoje mesmo com o presidente da Nigéria, Goodluck Jonathan, para analisar juntos a situação.

“Estes atos de terrorismo são inaceitáveis. É um ato terrível que demonstra que as instalações da ONU são objeto de cada vez mais ataques ao redor do mundo”, alertou pouco depois o principal responsável da ONU no início de uma reunião do Conselho de Segurança sobre as operações de paz do organismo.

Antes da reunião, os membros do principal órgão internacional de segurança fizeram um minuto de silêncio em memória das vítimas no atentado da Nigéria, e depois em seus discursos mostraram sua rejeição ao ataque.