Ban Ki-moon condena atentado na Síria e pede que violência termine no país

Secretário geral da ONU transmitiu suas condolências aos familiares das vítimas e lamentou que pessoas continuem morrendo diariamente no país

Nações Unidas – O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, condenou nesta sexta-feira o atentado terrorista na Síria, no qual morreram mais de 20 pessoas, e afirmou que a violência no país é inaceitável e precisa terminar.

‘O secretário-geral segue muito preocupado pela piora da situação na Síria, onde milhares de pessoas perderam a vida desde os início dos conflitos, em março’, afirmou o porta-voz do secretário-geral, Martin Neserky.

Ban transmitiu suas condolências aos familiares das vítimas e lamentou que pessoas continuem morrendo diariamente no país.

Mais de 20 pessoas perderam a vida e outras 63 ficaram feridas nesta sexta-feira após uma forte explosão no movimentado bairro Al Midan, no centro de Damasco, segundo explicou à Agência Efe o ministro do Interior sírio, Mohammed Shaar.

As autoridades atribuíram a ação a um suposto grupo terrorista suicida, que detonou as bombas perto de um sinal. Entre as vítimas, existem civis e membros das forças de segurança, segundo a agência oficial ‘Sana’.

Há duas semanas, duas fortes explosões causaram 44 mortes num duplo atentado em Damasco, no distrito de Kfar Souseh, próximos aos prédios das forças de segurança e da inteligência sírias. O governo do país também acusou grupos terroristas de serem os autores dos crimes.

No entanto, a oposição ao regime de Bashar al Assad garante que as próprias autoridades orquestraram os atentados para influenciar a missão de observadores da Liga Árabe, que foram para o país para verificar a situação na Síria.

Esta semana, o secretário-geral da ONU disse em entrevista à Efe que o organismo está preparado para fornecer assistência técnica a essa missão, e voltou a pedir que o regime de Assad termine com a violência no país.