Bahrein ordena libertação de presos políticos

Rei do país aununciou a medida, uma das exigências do manifestantes

Cairo – O rei do Bahrein, Hamad bin Isa al-Khalifa, ordenou nesta terça-feira a libertação de vários prisioneiros políticos, enquanto persistem os protestos contra seu regime em Manama, em cujo centro se mantêm concentradas milhares de pessoas.

Em declaração divulgada pela agência estatal barenita, o monarca ordenou a libertação de “um número indeterminado de condenados e suspender as demandas judiciais contra essas pessoas”.

O monarca fez a concessão, que corresponde a uma das exigências da oposição, “avaliando a união nacional e atendendo aos sentimentos (…) e às demandas patrióticas e sinceras que propuseram”.

Conforme a note, os nomes dos libertados serão divulgados nesta terça-feira.

O presidente da Associação da Juventude do Bahrein para os Direitos Humanos, Mohammed al-Maskati, disse à Agência Efe que na atualidade há mais de 450 prisioneiros políticos no país.

Enquanto isso, em Manama foi realizada nesta terça-feira uma das maiores manifestações desde o início dos protestos políticas em 14 de fevereiro.

Entre 60 mil e 70 mil pessoas, segundo Maskati, tentaram marchar do centro comercial Dana à praça Lulu, símbolo desta revolta popular.