Autoridades retomam buscas após erupção do Vulcão de Fogo na Guatemala

No ultimo domingo (3), o Vulcão de Fogo entrou em erupção e pelo menos 69 pessoas morreram e mais de 1,7 milhão foram afetados

As equipes de resgate retomam nesta terça-feira a busca de sobreviventes e vítimas da potente erupção do Vulcão de Fogo na Guatemala, que deixou pelo menos 69 mortos.

“Vamos seguir até encontrarmos a última vítima, embora não saibamos o números de vítimas. Vamos revisar a região quantas vezes for necessário”, afirmou o diretor da Coordenadoria para a Redução de Desastres (Conred), Sergio Cabañas.

No domingo, o Vulcão de Fogo, 3.763 metros de altura, situado 35 km ao sudoeste da capital, registrou uma potente erupção que deixou 69 mortos, de acordo com o Instituto Nacional de Ciências Forenses (Inacif).

“O trabalho científico da equipe de especialistas envolve 69 pessoas falecidas” pela avalanche de lodo e cinzas que destruiu várias comunidades, disse Fanuel García, diretor do Inacif, acrescentando que até o momento apenas 17 vítimas foram identificadas.

A erupção deixou ainda 46 feridos, mais de 1,7 milhão de afetados, 3.271 pessoas retiradas de suas casas e 1.887 pessoas levadas para abrigos nos departamentos de Escuintla (sul) e Sacatepéquez (oeste), que ao lado de Chimaltenango (oeste) são os mais afetados pela erupção.

Cabañas disse que não é possível estabelecer o número de desaparecidos. Ele afirmou que, oficialmente, tem conhecimento de apenas dois bombeiros.

“O real são os dois bombeiros que temos desaparecidos, há corpos (no necrotério), mas os parentes não compareceram para reclamar suas vítimas”, lamentou.

Cabañas informou que a Conred criou um espaço em seu site para que parentes e amigos publiquem o nome dos desaparecidos.