Autoridades iranianas confirmam 180 mortes nos terremotos

As autoridades ainda afirmaram que, devido à força do terremoto, é provável que o número de mortos e feridos seja ainda maior

Teerã – Pelo menos 180 pessoas morreram e outras 1,3 mil ficaram feridas em consequência de dois fortes terremotos, de magnitude 6,2 e 6, que sacudiram neste sábado o noroeste do Irã, informou a agência local ‘Isna’, citando uma fonte local.

Dahram Samadi Rad, diretor do Serviço Legista da província do Azerbaijão Oriental, onde ocorreram os tremores, afirmou que ‘devido à força do terremoto e os relatórios que nos chegam, é muito provável que esse número aumente’.

As áreas afetadas são os distritos de Ahar, Varzagam, Haris e Mehraban, segundo o diretor de Gestão de Emergências da província, Khalil Sai, que também assinalou que ’60 aldeias sofreram danos de entre 50% e 70% e, além disso, há seis aldeias totalmente arrasadas’.

Mais cedo, Gholamreza Masumi, diretor de Emergências Médicas do Ministério da Saúde, disse à mesma agência que 40 pessoas haviam morrido, mas disse que o número poderia ser maior.

Em Varzagan, um gasoduto explodiu devido aos terremotos, segundo a ‘Isna’, mas ainda não se sabe se houve vítimas.

Além do gás, cujo provisão foi suspensa em 70 povoados da área, também foram cortadas boa parte das linhas elétricas e das comunicações telefônicas por cabo.

As autoridades locais indicaram que foram enviados equipes e material de resgate à área dos abalos sísmicos, a 60 quilômetros a nordeste da cidade de Tabriz, capital da província iraniana do Azerbaijão Oriental, na fronteira com o Azerbaijão e a Armênia.

A estrada que liga Tabriz a Varzagan foi danificada e teve o tráfego cortado, e as equipes de resgate tiveram que utilizar caminhos alternativos. Pelo menos quatro povoados da região estão incomunicáveis devido aos tremores.

As equipes de resgate contam com cachorros treinados na localização de pessoas que possam estar soterradas e, segundo a ‘Isna’, os socorristas já retiraram dos escombros mais de 200 pessoas ainda vivas.

Segundo o Centro Sismológico do Irã, o primeiro tremor aconteceu às 9h23 (de Brasília) e sacudiu a cidade de Ahar, enquanto o segundo, ocorrido 11 minutos depois, foi sentido pela população de Varzagan, ambas na província do Azerbaijão Oriental.

A maior parte do território do Irã, incluindo a capital Teerã, de 14 milhões de habitantes, está em uma área de constantes movimentos telúricos, onde houve dezenas de milhares de mortos nas últimas décadas.

Em dezembro de 2003, um terremoto de 6,2 graus na escala Richter causou mais de 30 mil mortes e pelo menos 50 mil feridos na cidade de Bam, no sudeste do Irã, onde também destruiu a antiga cidadela do local.

O terremoto mais mortal das últimas décadas no Irã aconteceu em junho de 1990 no noroeste do país, nas províncias de Gilan e Zanjan, com pelo menos 37 mil mortos e mais de 100 mil feridos.

*atualizada às 17h40 com número de mortos e feridos mais recente