Autoridade religiosa saudita pede que se combata o EI

O grande mufti da Arábia Saudita pediu aos dirigentes muçulmanos que golpeiem "todos os inimigos do Islã"

Monte Arafat – O grande mufti da Arábia Saudita, xeque Abdel Aziz Al-Sheikh, pediu nesta sexta-feira aos dirigentes muçulmanos que “golpeiem com mão de ferro” os jihadistas do Estado Islâmico (EI), mesmo sem citar o grupo explicitamente.

“Sua religião está ameaçada, sua segurança está ameaças”, declarou o grande mufti ao falar aos fieis que participaram nesta terça-feira na tradicional oração do Hajj no monte monte Arafat, perto de Meca.

“É preciso golpear com mão de ferro todos os inimigos do Islã, que praticam estupros, derramam sangue e saqueiam”, acrescentou dirigindo-se aos dirigentes do mundo muçulmano.

“Esses crimes atrozes são terrorismo”, denunciou o grande mufti em um alusão aos jihadistas do Estado Islâmico.

“O pior é que cometem essas injustiças em nome da Jihad e do Islã”, disse ainda.

“Não têm nada a ver com a Jihad e o Islã. São tiranos”.

Ele denunciou ainda um desvio de ideologia.