Autor de atentado na Bulgária não era terrorista suicida

Segundo o ministro búlgaro do Interior, Tsvetan Tsvetanov, a ideia era colocar o explosivo no compartimento de bagagem do ônibus e provocar uma explosão à distância

Sófia – O autor do atentado anti-israelense na Bulgária em 18 de julho não era um terrorista suicida, já que o explosivo que carregava foi detonado antes do previsto, anunciou nesta quinta-feira o ministro búlgaro do Interior, Tsvetan Tsvetanov.

“O homem em questão, que residia na Bulgária sob a falsa identidade de ‘Felipe’, não era um terrorista suicida, mas iria colocar o explosivo no compartimento de bagagem do ônibus e provocar mais tarde uma explosão à distância”, declarou à imprensa.

“Os danos teriam sido muito maiores”, acrescentou o ministro.

A explosão ocorreu no momento em que o homem, que carregava duas bolsas, se aproximou de um dos ônibus que se preparava para levar os turistas israelenses do aeroporto de Burgas (leste da Bulgária) ao seu hotel.

Cinco turistas e o motorista búlgaro morreram no atentado.

A Bulgária atribuiu na terça-feira ao movimento libanês xiita Hezbollah a autoria deste atentado.

No dia seguinte, o Hezbollah denunciou a campanha de calúnias do Estado de Israel.