Aumenta para 17 número de mortes na Alemanha por infecção

Uma idosa morreu nesta madrugada em Hamburgo, o que elevou para três o número de mortos na cidade

Berlim – O número de vítimas da grave infecção de uma variante agressiva da bactéria “E. coli” na Alemanha aumentou nesta quinta-feira para 17 após a morte de uma idosa em Hamburgo.

Um porta-voz da Clínica Universitária de Hamburgo-Eppendorf informou que uma mulher de 81 anos morreu nesta madrugada por conta da infecção, agravada pela síndrome hemolítico-urêmica (SHU), o que elevou para três o número de mortos na cidade-estado desde o começo do surto.

Nenhum dos quatro pepinos que deram origem ao alerta sanitário na Alemanha por conta da infecção da bactéria “E. coli” estava infectado com sua variante perigosa, que causou até agora 17 mortes no país e uma na Suécia, e a causa da doença continua indefinida.

Uma porta-voz do Instituto Federal para a Análise de Riscos em Berlim disse que “nenhum ds quatro testes deu positivo ao variante Ou104:H4 do agente patogênico que foi isolado nas análises dos pacientes”, embora todos eles eram portadores de uma variante não agressiva da bactéria “E. coli”.

O presidente do instituto, o professor Andreas Hensel, declarou que “a fonte das infecções continua incerta” e que “ainda não foi determinado em que ponto da cadeia alimentar aconteceu a contaminação com as bactérias”.

A Alemanha tem registrados 2 mil casos de pessoas com suspeitas de infecção pela variante mais perigosa da bactéria “E. coli”, dos quais quase um quarto sofre a síndrome hemolítico-urêmica (SHU), que pode causar graves deficiências renais e levar à morte.