Aumenta número de mortos em ataque a discoteca no Cairo

O representante de Aguza, Ahmed Abdelrahim, assegurou que se tratou de “um evento criminoso”, provavelmente devido a uma disputa, e não a um ato terrorista

O número de mortos no ataque com coquetéis molotov a uma discoteca no bairro de Aguza, no oeste da cidade do Cairo, aumentou para 16, de acordo com uma autoridade local.

O primeiro balanço do incidente indicava 12 mortos. O representante de Aguza, Ahmed Abdelrahim, assegurou que se tratou de “um evento criminoso”, provavelmente devido a uma disputa, e não a um ato terrorista.

Em declarações à televisão estatal egípcia, Abdelrahim explicou que entre os mortos há empregados do estabelecimento.

As primeiras informações são de que três pessoas que estavam em uma moto lançaram os coquetéis molotov contra o edifício, provocando um incêndio, e depois fugiram do local.

As forças de segurança inspecionaram a área a fim de deter os autores do ataque, enquanto os agentes de proteção civil apagaram o fogo.

A segurança agravou-se no Egito após a revolução de 2011 (Primavera Árabe), com aumento da criminalidade e de atentados terroristas, mas são raros os ataques a casas noturnas.

Um representante da área de segurança adiantou que o ataque pode ter sido provocado por uma disputa entre os funcionários do clube e um grupo de adolescentes.