Ativistas protestam contra festival de carne canina na China

As manifestações podem aumentar no fim de semana, já que a previsão é que centenas de ativistas viajem a Yulin para tentar impedir o polêmico festival

Pequim – Diversos grupos chineses de defesa dos animais protestaram para pedir o fim do Festival da Carne de Cachorro de Yulin (sul da China), um popular evento que celebra o solsticio de verão com o consumo de milhares de cães, segundo informou nesta quinta-feira o jornal oficial “Global Times”.

Os protestos, liderados pela Associação de Proteção dos Animais de Estimação da China, incluíram manifestações noturnas em cidades do norte do país como Pequim, Tianjin, Xian e Zhengzhou, onde foi pedida a proibição imediata do festival, que este ano será realizado na próxima segunda-feira.

“Matar cachorros por causa da carne é algo cruel e além disso é um risco para aqueles que a comem, visto que muitos dos animais caçados podem estar doentes”, disse um dos ativistas que lideram os protestos, Zhou Yusong.

O festival anual, no qual muitos dos animais são de estimação e capturados furtivamente, gerou protestos de muitos grupos ambientalistas dentro e fora da China. Algumas celebridades, como o ator e humorista britânico Ricky Gervais, também apoiaram a causa de outros países.

As manifestações podem aumentar no fim de semana, já que a previsão é que centenas de ativistas viajem a Yulin para tentar impedir o polêmico festival.

Os moradores de Yulin, por outro lado, pediram para que as tradições sejam respeitadas. Em anos anteriores, o festival foi celebrado apesar da crescente pressão dos protestos, que incluiu atos de libertação de cachorros que seriam cozinhados.

O consumo de carne canina é rejeitado por grande parte da sociedade chinesa, embora em algumas regiões do país seja aceito e apreciado, principalmente em províncias do sul (Cantão, Guangxi) e no nordeste da China, por influência da cultura coreana.