Presidente de ONG que se dizia negra renuncia ao cargo

Autoridades suspeitam que Rachel Dolezal tenha mentido sobre suas origens

Washington – Uma ativista “negra“, figura local da luta pelos direitos dos negros em Spokane (Washington) e suspeita de mentir sobre suas origens, sendo, de fato, branca, anunciou nesta segunda-feira sua renúncia da presidência local de sua organização.

Em uma longa carta publicada pela organização de defesa dos direitos do Negros NAACP, de Spokane, no Facebook, Rachel Dolezal, de 37 anos, anunciou que renunciava as suas responsabilidades, passando suas funções à sua vice-presidente, “com total fidelidade à causa da justiça racial e da NAACP”.

Ela afirma que tomou esta decisão “no interesse da NAACP.”

“Dada a atual tempestade, uma separação entre questões familiares e organizacionais é no melhor interesse da NAACP”, acrescentou a ex-presidente, que evoca a longa luta pelos direitos dos negros, mas que não faz qualquer referência às revelações sobre sua real identidade.

Rachel Dolezal está desde o final da semana passada na mira das autoridades e dos meios de comunicação após a revelação, por seus próprios pais, de suas verdadeiras origens brancas, depois de anos alegando ser negra por uma razão desconhecida.