Ativista deixa embaixada americana e China exige desculpas

A presença do dissidente chinês na embaixada americana poderia ameaçar seriamente os entendimentos bilaterais entre os dois países

Pequim – O ativista dos direitos humanos Chen Guangcheng saiu “por vontade própria” da embaixada dos Estados Unidos, onde estava refugiado, e Pequim exigiu desculpas de Washington por ter recebido o advogado, informou a agência estatal Xinhua.

Uma fonte americana afirmou que Chen seria conduzido a uma clínica médica e que se reunirá com a família. A saída aconteceu na véspera do diálogo estratégico e econômico anual previsto entre os dois países na capital chinesa na quinta-feira e sexta-feira.

A secretária de Estado Hillary Clinton desembarcou nesta quarta-feira em Pequim para participar das reuniões.

A presença do dissidente chinês na embaixada americana poderia ameaçar seriamente os entendimentos bilaterais sobre economia e os principais temas internacionais.

Inicialmente, nem Estados Unidos nem China haviam reconhecido oficialmente a presença de Chen na missão diplomática americana, como haviam anunciado amigos do dissidente.