Atentados prejudicaram economia francesa, que perde força

A revisão em baixa para o quarto trimestre não terá qualquer impacto na previsão de crescimento para o ano todo, estimada pelo Instituto em 1,1%

O crescimento econômico francês cairá no quarto trimestre em relação ao anterior, essencialmente pelo efeito dos atentados de 13 de novembro em Paris, segundo as previsões do instituto de estatísticas desse país publicada na quinta-feira.

Em sua última nota de conjuntura, o Instituto nacional de estatísticas e estudos econômicos aposta no crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 0,2% no quarto trimestre, em comparação com o 0,4% previsto até agora.

No último trimestre do ano será marcado por uma desaceleração em relação ao terceiro trimestre, durante o qual a França registrou um aumento de 0,3% do PIB.

A revisão em baixa para o quarto trimestre não terá qualquer impacto na previsão de crescimento para o ano todo, estimada pelo Instituto em 1,1%.

É um nível “inédito há quatro anos”, mas longe do 1,5% que previsivelmente mostrará a zona do euro em seu conjunto, explicou o Instituto.

O governo francês também aposta em um crescimento de 1,1% em 2015.

Entre os fatores que provocaram a revisão das estatísticas no último trimestre, o Instituto detalhou o impacto dos atentados de 13 de novembro em Paris.

Seu impacto na economia – principalmente nos serviços de restantes, lazer e transportes – foi de 0,1% no quarto trimestre, uma estimativa parecida com a do governo e o Banco da França.