Atentado em cinema no Paquistão deixa dez mortos

Pelo menos dez pessoas morreram e outras 20 ficaram feridas pela explosão e dois artefatos no interior de uma sala de cinema

Islamabad – Pelo menos dez pessoas morreram e outras 20 ficaram feridas pela explosão nesta terça-feira de dois artefatos no interior de uma sala de cinema na cidade de Pesháwar, no noroeste do Paquistão, informaram à Agência Efe fontes oficiais.

Os artefatos explodiram pouco antes das 16h local (9h, em Brasília), após o início da sessão de tarde no cinema Shamá, situado em um bazar da zona de Bacha Khan, segundo um policial da delegacia mais próxima ao local.

Segundo as forças de segurança, no momento do atentado havia 60 pessoas na sala.

Um testemunha do ataque declarou à rede local “Dunya” que o ataque foi perpetrado com granadas de mão, mas fontes policiais consultadas pela Efe pouco depois das explosões não confirmaram esse dado.

O atentado de hoje ocorre uma semana após outro similar em um cinema da mesma cidade e no qual morreram quatro pessoas e dezenas ficaram feridas depois da explosão de várias granadas de mão lançadas por um dos presentes na plateia.

Os cinemas são alvo relativamente habitual de grupos radicais islâmicos que denunciam o conteúdo anti-islâmico de muitas cintas exibidas.

Em 2009, seis pessoas morreram em uma explosão na entrada de um cinema da mesma cidade do noroeste do país.

Pesháwar é capital da convulsa província de Khyber Pakhtunkhwa, fronteiriça com o Afeganistão e refúgio de grupos talebans, grupos jihadistas e organizações mafiosas que operam em ambos os lados da divisa com o país vizinho.

A cidade é palco de boa parte dos atos violentos que foram registrados no país asiático e é considerada um dos núcleos da atividade armada no Paquistão.

Segundo um recente relatório do Instituto Paquistanês para Estudos de Paz (PIPS), no ano passado houve no país asiático mais de 1.700 atentados terroristas, 61% dos quais foram perpetrados pelo principal grupo taleban do país, o TTP, e seus aliados.

O TTP abriu na semana passada um processo formal de diálogo com o Governo, mas a atividade do grupo não se deteve por enquanto.