Ataques do EI deixam cinco mortos na cidade síria de Palmira

Os jihadistas do Estado Islâmico, que iniciaram a ofensiva em Palmira em 13 de maio, estão nas imediações da cidade

Beirute – Uma série de foguetes lançados pelo grupo jihadista Estado Islâmico (EI) contra a cidade antiga de Palmira matou cinco civis, incluindo duas crianças, anunciou o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

Os combates prosseguiam nesta segunda-feira, de acordo com a ONG, entre as tropas do regime do presidente sírio Bashar al-Assad e os jihadistas na periferia desta cidade de mais de 2.000 anos, localizada no deserto sírio.

“Pelo menos cinco civis, incluindo duas crianças, morreram no domingo à noite quando o EI lançou foguetes contra vários bairros da cidade de Tadmor (nome árabe de Palmira)”, informou o OSDH.

“Esta é a primeira vez que o EI ataca com tanta intensidade a cidade”, afirmou Rami Abdel Rahman, diretor da organização, que tem uma ampla rede de fontes na Síria.

Os jihadistas, que iniciaram a ofensiva em Palmira em 13 de maio, estão nas imediações da cidade. Desde sábado, o extremistas estão a apenas uma quilômetro do famoso sítio arqueológico, conhecido por suas colunas romanas e torres funerárias.

No sábado, os jihadistas conseguiram assumir o controle da maior parte do norte de Palmira, mas menos de 24 horas depois foram expulsos pelo exército.

O comitê coordenação da revolução de Palmira, uma rede de ativistas, afirmou que a Força Aérea do regime executou seis bombardeios nesta segunda-feira na periferia norte da localidade.

O sítio arqueológico de Palmira é considerado patrimônio mundial da humanidade pela Unesco, que fez um apelo para a proteção da localidade.