Ataques aéreos dos EUA custam 8,3 mi de dólares por dia

Desde o início das operações, no dia 8 de agosto, Washington já gastou 580 milhões de dólares com a campanha aérea, informou o capitão de fragata Bill Urban

Os Estados Unidos gastam 8,3 milhões de dólares por dia com seus ataques aéreos contra o grupo Estado Islâmico (EI) no Iraque e na Síria, revelaram nesta segunda-feira fontes do Pentágono.

Desde o início das operações, no dia 8 de agosto, Washington já gastou 580 milhões de dólares com a campanha aérea, informou o capitão de fragata Bill Urban, porta-voz do departamento de Defesa.

Até o momento, o Pentágono calculava em 7 milhões de dólares ao dia o custo de suas operações, mas um alto funcionário – que pediu para não ser identificado – destacou que o ritmo das missões se intensificou nas últimas semanas.

Analistas independentes consideram que os números oficiais estão subavaliados e Todd Harrison, do Centro para a Avaliação Estratégica e Orçamentária (CSBA) de Washington, estima que a campanha aérea pode custar entre 2,4 bilhões e 3,8 bilhões de dólares por ano.

Caso os ataques aéreos contra alvos jihadistas se intensifiquem ainda mais, este valor pode chegar a entre 4,2 e 6,8 milhões de dólares ao dia, revela um estudo publicado no final de setembro.

Os voos de reconhecimento são o fator mais oneroso no orçamento da operação “Determinação Absoluta”.

Cada hora de operação dos drones Predator e Reaper custa em torno de mil dólares, e uma hora do Global Hawk, um drone de vigilância capaz de voar a muita altitude, sai por mais de 7 mil dólares.

A verba da campanha aérea na Síria e no Iraque procede do orçamento de guerra do Pentágono, que está separado do orçamento básico do departamento de Defesa.