Ataque mata 2 milicianos palestinos em Gaza; Israel nega autoria

O incidente aconteceu em Al Nada, onde dois milicianos foram abatidos por fogo que, segundo testemunhas na região, procedia de aviões israelenses

Gaza – Dois milicianos palestinos morreram nesta terça-feira no norte da Faixa de Gaza no que segundo testemunhas e residentes se tratou de um ataque israelense, mas sobre o qual o exército de Israel negou a autoria.

O incidente aconteceu em Al Nada, perto da cidade de Beit Lahia, no norte de Gaza, onde dois milicianos estavam em uma motocicleta quando foram abatidos por fogo que, segundo testemunhas na região, procedia de aviões israelenses.

“Ao contrário dos relatórios palestinos de hoje, as Forças de Defesa de Israel não atacaram no norte da Faixa de Gaza”, afirmou um comunicado militar de Israel enviado aos jornalistas

Segundo indicaram as fontes em Al Nada, se ouviram duas explosões, a primeira de um projétil que explodiu antes de ser lançado em direção a Israel, e a segunda de um míssil que detonou uma motocicleta em movimento.

Os dois milicianos que estavam na moto morreram e seus corpos foram levado ao hospital pelos serviços de emergência, confirmou à Agência Efe Ashraf al Qedra, porta-voz do Ministério de Saúde em Gaza, que também disse que se tratou de um ataque israelense.

As vítimas do ataque são Hasan Ghazi Nasrala e Mustafah al Sultan, ambos membros do braço armado da Jihad Islâmica, as Milícias Al Quds, detalhou Al Qedra.

A tensão aumentou na Faixa de Gaza desde que na semana passada o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, declarou Jerusalém como capital de Israel, o que originou protestos no enclave nos quais morreram quatro pessoas e cerca de 200 ficaram feridas.

Nos últimos dias, vários projéteis foram lançados de Gaza contra Israel sem causar danos e que foram respondidos pelo exército israelense com bombardeios sobre alvos militares.

O Ministério de Saúde palestino disse também que hoje voltaram a ocorrer distúrbios entre jovens manifestantes e soldados israelenses na área fronteiriça com Israel nos quais houve cinco feridos por bala que se encontram em condição estável.