Ataque durante protesto no Afeganistão deixa 33 mortos e 128 feridos

Um terrorista suicida detonou explosivos que levava em seu colete na província de Nangarhar e o número de vítimas pode aumentar

Cabul – Pelo menos 33 pessoas morreram e outras 128 ficaram feridas nesta terça-feira em um ataque suicida durante uma manifestação para pedir a demissão de um comandante da polícia na província de Nangarhar, no leste de Afeganistão.

O porta-voz do Departamento de Saúde Pública de Nangarhar, Inamullah Myakhil, confirmou à Agência Efe o balanço de vítimas, entre as quais se encontram vários menores de idade, e detalhou que os feridos estão internados em vários hospitais da província.

“Estes números podem variar nas próximas horas”, advertiu Myakhil.

A ação aconteceu por volta das 13h local (5h30, em Brasília), quando um insurgente suicida detonou os explosivos que levava em seu colete no distrito de Momand Darah, ao leste da capital provincial, Jalalabad, disse à Agência Efe o porta-voz do governador de Nangarhar, Attaullah Khogyanai.

Concretamente, o atentado aconteceu na estrada que une Jalalabad com a passagem fronteiriça de Torkham, entre Afeganistão e Paquistão, quando acontecia um protesto contra um comandante da polícia local do vizinho distrito de Achin.

Nenhum grupo reivindicou a autoria do ataque.

Este é o quarto ataque ocorrido hoje em Nangarhar, depois que um menor de 14 anos morreu e outros quatro civis ficaram feridos em três explosões consecutivas ocorridas perto de duas escolas para meninas.

Duas explosões aconteceram no distrito de Behsood por volta das 7h30h local (meia noite, em Brasília), causando a morte de um adolescente e deixando outras três pessoas feridas, segundo Khogyanai.

A fonte precisou que a terceira explosão aconteceu no distrito policial número três da capital, onde um civil ficou ferido.

Nas últimas semanas, Nangarhar, reduto do grupo jihadista Estado Islâmico (EI) desde a chegada ao país em 2015, foi alvo de um grande número de atentados.