Assim como em 2008, Obama contou com apoio de esportistas

A relação íntima como o esporte ocorre especialmente a NBA, onde Obama goza de grande popularidade por seu compromisso pessoal com o basquete

Houston – A reeleição do presidente Barack Obama para mais quatro anos à frente do Governo dos Estados Unidos gerou um grande entusiasmo entre os esportistas, que voltaram a apoiar o democrata, assim como ocorrera em 2008.

A relação íntima como o esporte ocorre especialmente a NBA, onde Obama goza de grande popularidade por seu compromisso pessoal com o basquete. Obama pratica a modalidade como hobby e é torcedor confesso do Chicago Bulls – vale ressaltar a coincidência de que o time, comandado por Michael Jordan foi campeão da NBA no ano que Obama venceu sua primeira eleição, em 1997, para senador.

Na primeira campanha presidencial, Obama recebeu grande apoio vindo de atletas profissionais, seja por manifestações públicas ou por contribuições financeiras. Nem mesmo a política fiscal que aumentou impostos a todos aqueles que ganham mais dinheiro, não afetou o apoio de alguns astros, sabidamente milionários.

Desde Jordan, Charles Barkley, Patrick Ewing Magic Johnson, até estrelas atuais, como LeBron James, Carmelo Anthony e Kobe Bryant deram seu apoio a Obama, com jantares e partidos benéficos para sua campanha de arrecadação de fundos.

Obama também contou com respaldo de profissionais ligados a Liga Nacional de Futebol Americano (NFL), embora seu rival, o candidato republicano Mitt Romney, foi o preferido por figuras como o astro da atualidade Peyton Manning e o ex-jogador John Elway, entre outros.

No beisebol e no boxe, Barack Obama também foi o preferido. Dos ringues, vieram o apoio de Muhammad Ali, Mike Tyson, Sugar Shane Mosley e Floyd Mayweather Jr., inclusive com doações à campanha do presidente agora reeleito.

Um dos compromissos de Obama com o esporte em geral é apoiar os esforços contra o doping, independente de que figuras estejam envolvidas como o consumo de substâncias proibidas, como recentemente aconteceu com o ex-ciclista Lance Armstrong.

O presidente admitiu recentemente, em entrevista durante o “Monday Night Football”, tradicional faixa de transmissão televisiva das partidas da NFL, nas segundas-feiras a noite, que sua missão não é ganhar campeonatos, nem títulos, mas fazer as coisas que interessam aos que o elegeram

Com bom humor, Obama brincou ao revelar que havia descoberto algo “interessante”: que os jornalistas que cobrem políticas são parecidos com os que cobrem esportes. Segundo o presidente reeleito, os repórteres classificam como “ruim”, aquele que não faz a coisa certa e como “deus”, aquele que acerta.