Assessor de campanha de Trump se declara culpado de conspiração

Rick Gates se declarou culpado de acusações de conspiração e falso testemunho no marco das investigações sobre ingerência russa nas eleições de 2016

Washington – Rick Gates, que foi o segundo em comando da campanha eleitoral do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, se declarou culpado nesta sexta-feira das acusações de conspiração e falso testemunho no marco das investigações sobre a possível ingerência russa nas eleições presidenciais de 2016.

A declaração de culpabilidade de Gates pode ser o passo prévio para que ele aceite colaborar com a Justiça americana e possa negociar assim uma redução da sua pena.

Segundo os documentos judiciais, Gates enfrentaria uma pena de entre 57 e 71 meses, mas o promotor especial para o caso, Robert Mueller, poderia pedir solicitar sua diminuição caso se confirme sua colaboração.

De acordo com a acusação apresentada hoje pelo promotor especial pouco antes que Gates se declarasse culpado, o consultor político mentiu aos investigadores federais sobre o conteúdo de uma reunião ocorrida em março de 2013 na qual se discutiu sobre a Ucrânia.

Gates mentiu deliberadamente ao negar que em tal encontro foram tratados assuntos vinculados à política ucraniana, uma reunião na qual também se encontrava o ex-chefe de campanha de Trump, Paul Manafort, um lobista e um membro do Congresso.

Gates mentiu às autoridades sobre esse assunto em 1º de fevereiro, mesmo dia em que os seus advogados apresentaram uma moção para se retirar como sua defesa.

De acordo com a sentença, Gates poderia enfrentar quase seis anos de prisão, mas Mueller poderia solicitar ao tribunal que reduza seu tempo de condenação com base na sua cooperação com os investigadores.

A data da sentença não foi estabelecida publicamente, embora o tribunal tenha programado provisoriamente uma audiência informativa para o dia 14 de maio.

Gates, de 45 anos, inicialmente se declarou inocente das acusações que pesavam contra ele desde outubro do ano passado, incluindo as de lavagem de dinheiro, enquanto nesta quinta-feira lhe foram imputadas outras 32 acusações vinculadas à fraude bancária.

Em ua comunicado emitido depois da mudança de declaração de Gates, Manafort disse: “Sigo mantendo minha inocência “.

“Esperava que meu colega de negócios tivesse a força para continuar a batalha para demonstrar nossa inocência. Por razões ainda por esclarecer, escolheu fazê-lo de outra maneira. Isto não altera meu compromisso de defender-me contra as falsas acusações acumuladas contra mim”, destacou Manafort.

Gates ganha assim um papel fundamental nas investigações sobre a trama russa por poder fornecer informação ao escritório de Mueller sobre o envolvimento de Manafort ou outros assessores de campanha de Trump na suposta ingerência do Kremlin nos pleitos presidenciais de 2016.