Assad só acredita em saída política após derrotar terrorismo

Presidente sírio afirmou que não pode haver mudança antes de eliminar o terrorismo e devolver a segurança e a estabilidade ao país

Damasco – O presidente da Síria, Bashar al Assad, disse nesta terça-feira não acreditar ser possível aplicar nenhum plano para uma saída política ao conflito no país sem acabar antes com o terrorismo.

“Em mais de uma ocasião, o presidente Al-Assad, em vários de seus discursos e reuniões informativas, afirmou que não pode ser aplicada nenhuma iniciativa ou ideia, e garantir seu sucesso, antes de eliminar o terrorismo e devolver a segurança e a estabilidade ao país”, indicou em comunicado.

A presidência decidiu esclarecer sua posição depois de terem havido várias “consultas e perguntas” sobre declarações de alguns membros da delegação russa que se reuniu anteontem em Damasco com Assad.

Um dos integrantes dessa delegação, o deputado Aleksandr Yushchenko, disse à agência russa “Interfax” que Assad estava disposto a convocar eleições parlamentares e a debater reformas constitucionais.

“Na reunião, Assad expressou sua disposição de debater reformas constitucionais e de realizar eleições parlamentares livres, com a participação de todas as forças políticas que apostam pelo florescimento da Síria”, disse Yushchenko após o encontro com o presidente sírio.

A Rússia é um dos principais aliados do regime sírio, e desde 30 de setembro realiza uma campanha de bombardeios no território sírio, sua primeira intervenção militar direta no país árabe desde o início do conflito em março de 2011.