Artigo misógino de jornal russo sobre mulheres de seu país gera indignação

Jornal também ironizou que "até um brasileiro vale mais do que nossos compatriotas"

Um artigo de um tabloide russo sobre as mulheres de seu país, criticando-as por se relacionarem com estrangeiros que estão na Rússia para a Copa do Mundo 2018, provocou reações indignadas nesta sexta-feira (29) no país. O texto também se refere pejorativamente aos brasileiros.

“Diante dos estrangeiros, muitas russas se comportam como putas”, escreve sem rodeios o jornal Moskovski Komsomolets (MK) em coluna assinada por Platon Bessedin, publicada na quarta-feira.

“Educamos uma geração de putas, dispostas a abrir suas pernas desde que escutem o som de uma língua estrangeira”, afirma, garantindo que “as moças russas que se relacionam com estrangeiros não conhecem o significado da palavra vergonha, de moral”.

A Copa do Mundo revelou, na opinião do colunista, “a depravação de nossa soci0edade, provada ante os estrangeiros pela forma como agem as mulheres russas, dispostas a tudo para atrair a atenção e, pior, a gratidão dos ‘senhores brancos’. Até um brasileiro vale mais do que nossos compatriotas”, ironizou.

“Estamos orgulhosos da forma como a Rússia destrói os estereótipos que havia sobre ela, mas há um que não para de se confirmar durante a Copa: a disponibilidade das mulheres russas”, insistiu.

Uma petição do portal Change.org, exigindo desculpas públicas do autor e da redação do MK, tinha 19 mil assinaturas nesta sexta-feira.

“O conjunto deste artigo é uma humilhação direta contra as mulheres russas”, acusa o manifesto, acrescentando que o texto é uma “incitação ao ódio” – algo proibido pela legislação russa.

Em artigo publicado em seu site, a versão russa da revista Cosmopolitan denunciou “uma mistura infernal de misoginia, ignorância e racismo”.

Desde o começo, esta Copa do Mundo tem sido marcada por diversos casos de sexismo e opiniões contrárias à liberdade das mulheres.