Armas explosivas ameaçam 5 milhões de sírios, aponta estudo

Cerca de 5,1 milhões de sírios moram em áreas com risco elevado de explosões de artefatos, segundo grupo de ajuda

Beirute – Cerca de 5,1 milhões de sírios moram em áreas com risco elevado de explosões de artefatos, alguns dos quais não detonados, o que representa uma ameaça mortal para os próximos anos, disse o grupo de ajuda Handicap International.

A entidade global examinou 78.000 incidentes violentos na guerra da Síria, entre dezembro de 2012 e março de 2015, e descobriu que mais de 80 por cento envolviam armas altamente destrutivas como foguetes, morteiros e bombas, em vez de armas leves.

“A Síria vai herdar o legado mortal de armas explosivas por anos”, disse a coordenadora regional da Handicap International, Anne Garella.

O conflito está no seu quinto ano e já matou mais de 220.000 pessoas, de acordo com uma estimativa da Organização das Nações Unidas (ONU). Mais de 1,5 milhão de pessoas ficaram feridas, segundo o Observatório Sírio para os Direitos Humanos, uma organização que monitora a guerra.

Os esforços diplomáticos para encontrar uma solução política não têm sido bem-sucedidos.

Uma série de grupos insurgentes tem lutado contra os militares sírios e aliados. Ataques aéreos liderados pelos norte-americanos têm bombardeado militantes radicais do Estado Islâmico desde o ano passado.