Argentinos acreditam em sucesso nas Copas durante papado

Desde o início das Copas, em 1930, no Uruguai, somente o papa Pio XI comemorou duas vezes o título de seu país, quando a Itália foi campeã do mundo em 1934 e 1938

Buenos Aires – Boa parte dos argentinos que são apaixonados pelo futebol, estão se perguntando se o papa Francisco poderá romper uma sequência negativa de mais de sete décadas, sem que um pontífice comemore um título ganho por sua seleção em uma Copa do Mundo.

“Poderá Francesco repetir a história de Pio XI e festejar um título mundial um ano após ter assumido como máximo pontífice? A oportunidade será na Copa de 2014, no Brasil, quando a equipe conduzida por Lionel Messi tentará o terceiro título mundial da Argentina”, diz o jornal “La Nación”.

Desde o início das Copas, em 1930, no Uruguai, somente o papa Pio XI (Achille Damiano Ambrogio Ratti) comemorou duas vezes o título de seu país, quando a Itália foi campeã do mundo em 1934 e 1938, na Itália e na França, respectivamente.

Próximo a Copa de 2014, o “La Nación”, de Buenos Aires, lembrou nesta quinta-feira que Pio XI pôde comemorar o título conquistado no dia 10 de junho de 1934, em uma final disputada no estádio Nazionale, em Roma, próximo ao Vaticano.

Quatro anos mais tarde, a Itália voltou a ganhar uma Copa após vencer à Hungria por 4 a 2, em decisão disputada no estádio Olímpico de Paris.

Desde então, seis papas assumiram: Os italianos Pio XII (1939-1958), João XXIII (1958-1963), Paulo VI (1963-1978) e João Paulo I (1978), o polonês João Paulo II (1978-2005), e o alemão Bento XVI (2005-2013), todos sem ver o país em que nasceram ser campeão do mundo durante seus papados.

O argentino Jorge Mario Bergoglio, escolhido como papa na última quarta-feira, é sócio e torcedor do San Lorenzo, tradicional clube argentino, fundado por um padre salesiano chamado Lorenzo Massa em 1908.