Arábia Saudita diz que atentados violam todas as religiões

Adel al Jubeir, ministro de Relações Exteriores da Arábia Saudita, definiu os ataques como "uma violação e contradição de todas as éticas, morais e religiões"

Viena – O ministro de Relações Exteriores da Arábia Saudita, Adel al Jubeir, disse neste sábado em Viena que os “atrozes” atentados terroristas de ontem à noite em Paris, nos quais foram assassinadas pelo menos 120 pessoas, violam e transgredem todas as religiões.

Jubeir expressou suas condolências e as de seu país “ao governo e ao povo da França pelos ataques terroristas atrozes” de ontem à noite na capital francesa, que – disse – foram “uma violação e contradição de todas as éticas, morais e religiões”.

“O reino da Arábia Saudita pediu há muito tempo o aumento da intensidade dos esforços internacionais para combater o flagelo do terrorismo em todas suas formas”, acrescentou o chefe da diplomacia saudita.

O ministro fez estas declarações à imprensa em Viena, onde participa hoje em uma conferência internacional dedicada a buscar uma solução política à guerra na Síria.

Moscou e Washington dirigem este esforço diplomático, no qual participam também Alemanha, Arábia Saudita, China, Egito, Emirados Árabes, França, Líbano, Irã, Iraque, Itália, Jordânia, Reino Unido, Turquia e Omã, assim como o enviado da ONU, Steffan De Mistura, e a chefe da diplomacia da União Europeia, Federica Mogherini.

Pelo menos 120 pessoas morreram e 200 ficaram feridas, 80 delas em estado grave, em vários ataques efetuados ontem à noite em Paris.