Arábia Saudita atua para reduzir preços de petróleo

Informação é de uma fonte sênior do Golfo, acrescentando que a maioria dos produtores da Opep quer os preços em torno de US$ 100 o barril

Dubai – A Arábia Saudita está agindo para rebaixar os preços do petróleo, disse uma fonte sênior do Golfo nesta terça-feira, acrescentando que a maioria dos produtores da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) quer os preços em torno de 100 dólares o barril.

A fonte disse a jornalistas, em intervalo de conferência de energia, que o mercado está bem balanceado e que não há escassez.

A Arábia Saudita está agora produzindo cerca de 10 milhões de barris por dia (bpd) de petróleo, e os membros da Opep e outros produtores devem aumentar a produção nos próximos meses.

“Nós gostaríamos de ver o preço caindo e estamos trabalhando para rebaixá-lo”, disse a fonte sênior do Golfo, sem dar mais detalhes. “O preço agora, acreditamos que é alto, e não é sustentado por fundamentos. É apenas especulação e geopolítica.” Os preços do petróleo subiram cerca de 30 por cento nos últimos três meses, com investidores preocupados com a garantia de oferta do Oriente Médio e Norte da África, além de expectativas de que os preços da commodity subiriam devido às medidas de estímulo econômico nos Estados Unidos, Europa e China.

O preço do petróleo tipo Brent no Mar do Norte está agora em cerca de 114 dólares o barril, ante menos de 90 dólares em junho, e os preços estão agora bem acima do custo de produção de petróleo na maioria dos campos, e a um nível que alguns economistas dizem que pode afetar a economia global.

“Achamos que o mercado de petróleo está bem balanceado”, disse ele.

“A maioria dos países da Opep prefere os preços em cerca de 100 dólares, incluindo a Arábia Saudita”, disse ele, acrescentando que 100 dólares é “agora o preço ideal para a maioria dos países da Opep… a maioria significa todos, menos um ou dois.” “A expectativa para os próximos dois meses e incluindo o ano que vem é de que haja mais petróleo vindo de fora da Opep… América do Norte, Cáspio, Iraque e outros.” O crescimento da demanda global por petróleo estava se desacelerando devido às “dificuldades na economia global, especialmente na Europa e outros. Então, o quadro é um mercado de petróleo bem balanceado.” A Arábia Saudita, maior produtor de petróleo da Opep, atenderá a demanda de seus consumidores e continuará produzindo nos níveis recentes: “(A produção saudita) será de cerca de 10 milhões de toneladas (bpd), dependendo da demanda de consumidores, mas esperamos que continue em cerca de 10. Caso haja mais demanda, ela será atendida.” (Reportagem de Daniel Fineren e Humeyra Pamuk)