Após polêmicas, Trudeau pode perder maioria no Canadá

As últimas pesquisas marcam um empate entre liberais e conservadores, o que deve obrigar quem conseguir uma maioria buscar coalizão com outros partidos

Se em 2015 o primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, foi eleito com o apoio e o entusiasmo da população mais jovem do país, nesta segunda-feira 21, o líder do Partido Liberal tenta uma reeleição incerta e cercada de polêmicas. As últimas pesquisas marcaram um empate nas intenções de voto entre liberais e conservadores, liderados pelo rival de Trudeau, Andrew Scheer. A eleição acontece em meio à intensificação de crises na imagem política do primeiro-ministro, acusado de racismo ao protagonizar  episódios de Black Face (ele pintou o rosto de preto em festas à fantasia). 

Nas últimas semanas, Trudeau intensificou sua campanha — e atacou seu adversário —  na luta para ultrapassar os conservadores, o que parece não tem dado muito certo. Com 32% de apoio cada um dos lados, segundo as pesquisas mais recentes, nenhum dos dois partidos está em posição de ganhar as cadeiras necessários para obter maioria absoluta na Câmara dos Comuns. Assim, quem conseguir uma maioria relativa de votos terá que buscar o apoio de um ou mais partidos menores para compor o próximo governo.

Ao longo da campanha, Trudeau acusou Scheer e os conservadores de promoverem “políticas de medo e divisão” e de planejarem, secretamente, cortar bilhões em despesas sociais  e de infraestrutura. Scheer respondeu dizendo que Trudeau é um “mentiroso compulsivo”, e criticou sua intromissão no julgamento criminal da gigante da engenharia SNC-Lavalin.

No cargo de premiê no Canadá desde 2015, Trudeau viu as crises de seu governo se intensificaram neste ano. Sua popularidade caiu sob o peso de alegações de que ele e importantes membros do governo teriam tentado interferir em um processo criminal contra uma companhia de engenharia de Montreal, a SNC-Lavalin Group. No mês passado, o órgão de monitoramento ético do país concluiu que Trudeau desrespeitou regras ao tentar impedir o processo contra a empresa.

Além das polêmicas do governo, o premier enfrentou uma crise de imagem no começo da campanha política. Nas últimas semanas, foram divulgadas imagens do primeiro-ministro fantasiado de negro e de árabe na sua juventude. A primeira foto divulgada é de 2001, quando ele foi a uma festa vestido de Aladdin. Depois, apareceram imagens de outras duas blackfaces feitas na sua adolescência. Para um político que formou seu governo respeitando minorias e fez da inclusão uma bandeira, os episódios podem ser fatais.