Angola inaugura sua maior hidrelétrica, construída pela Odebrecht

Com custo estimado em 4,3 bilhões de dólares, a usina vai produzir 2.070 megawatts de energia e pretende reduzir os apagões em Angola

O presidente angolano, José Eduardo dos Santos, que deixará o cargo no fim do mês, inaugurou oficialmente nesta sexta-feira a maior usina hidrelétrica do país.

Construída pela empreiteira brasileira Odebrecht, com custo estimado em 4,3 bilhões de dólares, a usina vai produzir 2.070 megawatts de energia e pretende reduzir os apagões em Angola, uma grande produtora de petróleo.

A barragem hidrelétrica de Lauca, no rio Kwanza, será uma das maiores do continente africano, e as duas primeiras turbinas – ao todo são seis – foram ativadas nesta sexta.

É a terceira barragem construída neste rio e deve funcionar com toda potência no ano que vem.

Embora estivesse com boa aparência, Santos não falou. O líder de 74 anos, no poder desde 1979, tem enfrentado boatos sobre seu estado de saúde.

Ele não vai participar das eleições gerais de 23 de agosto, mas seu partido deve sair vencedor. O ministro da Defesa João Lourenço deve suceder Santos.