Americanos rejeitam possibilidade de impeachment para Obama

A proposta de impeachment por abuso de poder foi lançada no começo desse mês pela ex-candidata à vice-presidência e estrela do Tea Party, Sarah Palin

Washington – Os recentes pedidos para que o presidente americano, Barack Obama, sofra um impeachment por supostos abusos de autoridade não têm grande apoio entre os americanos, segundo uma pesquisa publicada nesta sexta-feira.

O levantamento, realizado por “CNN”/ORC International, revela que apenas 35% apoiaria, enquanto quase dois terços são contra a uma acusação formal. A proposta foi lançada no começo desse mês pela ex-candidata à vice-presidência pelo partido republicano e estrela do Tea Party, Sarah Palin.

Os analistas destacaram a divisão partidária nos resultados, já que 57% dos republicanos apoiam o impeachment, enquanto os independentes são apenas 35% e dos democratas somente 13% aprovariam.

Segundo Keating Holland, responsável pelas enquetes da “CNN”, a oposição à ideia é parecida às registradas no caso dos dois antecessores de Obama.

“Em setembro de 1998, 67% se opuseram à cassação de Bill Clinton, e 69% foram contra a aplicação disso com George W. Bush, quando poucos democratas começaram a falar do assunto em 2006”, lembrou Holland.

“Uma das razões pode ser que os americanos levam muito a sério o impeachment”, apontou.

Além do pedido de Palin, o presidente da Câmara dos Representantes, o republicano John Boehner, quer o impeachment Obama por considerar que ele abusa de sua autoridade executiva, pelas mudanças que introduziu na lei de reforma da saúde sem a autorização do Congresso, por exemplo.

Nesse sentido, as opiniões estão mais divididas, com 57% acreditando que os republicanos da Câmara dos Representantes não deveriam seguir adiante com o processo, enquanto 41% a apoiam.

A pesquisa foi realiza por telefone, entre 18 e 20 de julho, com 1.012 adultos e tem uma margem de erro de três pontos percentuais. EFE

elv/cdr