Aluguel de bike no Rio contabiliza 600 mil viagens

Em média, são cinco mil viagens por dia e mesmo após sete meses de funcionamento, nenhum caso de furto ou vandalismo foi registrado

Rio de Janeiro – Implantado em outubro, o sistema de aluguel de bicicletas do Rio já contabiliza mais de 600 mil viagens. O modelo, que inspirou o projeto piloto em São Paulo, já conta com 70 mil usuários cadastrados, entre cariocas e turistas. Em média, são cinco mil viagens por dia e mesmo após sete meses de funcionamento, nenhum caso de furto ou vandalismo foi registrado nas bicicletas, apelidadas de `laranjinhas’.

Atualmente, 550 bicicletas estão disponíveis em 55 estações, que abrangem bairros da zona sul, como Ipanema, Leblon, Laranjeiras e Copacabana, e o centro da cidade. O projeto inicial também prevê a instalação de mais cinco estações nas regiões, ainda não concluídas, mas a prefeitura e os parceiros já estudam a ampliação do sistema. Moradores da zona oeste, que contempla bairros como Barra, São Conrado e Gávea reivindicam o serviço.

A demanda pelo serviço já acarreta problemas aos usuários. No horário de pico, entre 7 horas e 10 horas, pela manhã, e das 17 horas às 20 horas, à noite, é difícil encontrar bicicletas disponíveis para aluguel nas estações. O sistema de cadastro por telefone também é alvo de críticas, sobretudo por turistas.

De acordo com a administração do Bike Rio, para atender às demandas foram realizadas melhorias no serviço, como o aumento no número de atendentes. Além disso, no horário de pico, funcionários da empresa responsável pelo serviço fazem a redistribuição das bicicletas entre as estações de maior movimento.