Alemanha recebe 15 mil novos refugiados no fim de semana

Fontes do ministério afirmaram que a previsão é que os números se mantenham nos próximos dias, diante do grande fluxo atravessando a rota dos Bálcãs

Berlim – Cerca de 15 mil refugiados chegaram neste fim de semana à Baviera, no sul da Alemanha, vindos da Áustria, segundo dados atualizados divulgados nesta segunda-feira pelo Ministério do Interior do estado federado.

Fontes do ministério afirmaram que a previsão é que os números se mantenham nos próximos dias, diante do grande fluxo de solicitantes de asilo que seguem atravessando a chamada rota dos Bálcãs, com a Alemanha como destino final.

No sábado, 6 mil imigrantes cruzaram a fronteira entre Áustria e Alemanha. Já no domingo, 9 mil fizeram a mesma travessia para chegar à Baviera.

O porta-voz do governo da Alemanha, Steffen Seibert, mostrou hoje a satisfação de Berlim pelos resultados da reunião de alto nível realizada ontem em Bruxelas, com o objetivo de enfrentar de forma coordenada a crise dos refugiados.

No entanto, ele reconheceu que várias das iniciativas estipuladas não podem ser aplicadas “da noite para o dia”.

Seibert citou especificamente a decisão de criar 100 mil locais para a recepção de solicitantes de asilo na Grécia e ao longo da rota dos Bálcãs. Já sobre o acordo para enviar 400 policiais à fronteira entre Eslovênia e Croácia, ele lembrou que os países interessados devem disponibilizar nos próximos dias os agentes que serão enviados para a missão.

Por outro lado, a grande coalizão que governa a Alemanha segue debatendo uma proposta defendida pelos setores conservadores para criar “zonas de passagem” perto das fronteiras, nas quais os refugiados com poucas perspectivas de ficar no país esperariam a resolução de seus pedidos de asilo antes de serem expulsos.

As negociações continuam com o receio dos social-democratas, que alertam sobre os riscos dessas zonas, similares às existentes em aeroportos, se tornem em centros de detenção.

A Alemanha espera receber nesse ano mais de 800 mil refugiados e conta desde sábado com uma nova legislação que aprovou com urgência para tentar agilizar as expulsões e restringir determinados benefícios econômicos.